Cultura e artes em debate na IV CMC

Secultfor COMENTÁRIOS

Cultura e artes em debate na IV CMC

IV Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza, pautada para os dias 18, 19 e 20 de novembro de 2011, no Seminário da Prainha, começa desde já, a partir do próximo dia 06 de outubro.



O convite é público e extensivo a todo e qualquer cidadão interessado em debater e decidir, de forma compartilhada com o poder público, ações e projetos culturais de caráter governamental, potencialmente capazes de promover o desenvolvimento social e humano. Participativa e processual, a IV Conferência Municipal de Cultura de Fortaleza, pautada para os dias 18, 19 e 20 de novembro de 2011, no Seminário da Prainha, começa desde já, a partir do próximo dia 06 de outubro, com um ciclo de seminários preparatórios que auxiliam a cumprir a missão histórica de aprovar propostas, estratégias e diretrizes que irão compor o Plano Municipal de Cultura, um documento de valor legal que definirá a base de sustentação da política cultural em Fortaleza, ao longo dos próximos 10 anos.

Às voltas com o tema Cultura e Artes, o primeiro seminário preparatório tem como palestrantes convidados o professor Cézar Migliorin, pesquisador e ensaísta em audiovisual, doutor em Comunicação e Estudos Cinematográficos pela UFRJ e Sorbonne Nouvelle (Paris 3) e o também professor Custodio Almeida, da Universidade Federal do Ceará (UFC), mestre em Sociologia (UFC) e doutor em Filosofia (PUCRS). Membro dos Conselhos Superiores da UFC, ele também é diretor do ICA (Instituto de Cultura e Arte - UFC). De 19h às 22h, o debate que resvala para ações formativas em artes, educação e produção de conhecimento tem ainda a mediação da diretora da Vila das Artes, Silvia Bessa.

Em pauta, a multiplicidade de expressões que hoje referenciam – ou devem referenciar - as políticas públicas para a cultura. Um olhar para o próprio quintal à luz do que ficou documentado como conceito norteador durante a II Conferência Nacional de Cultura: “A arte pode ser compreendida como um dos subsistemas simbólicos da cultura - o sistema estético - onde estão refletidos os significados subjacentes à vida social, presentes também em outros campos: na religião, no trabalho, nas relações de parentesco e poder. Assim entendida, a arte é uma das formas de conhecer e interpretar o mundo. A ampla gama de expressões artísticas existentes no planeta resulta da diversidade de concepções que os seres humanos têm sobre como são e funcionam as coisas”.

Afinados com a compreensão antropológica da cultura como as mais diversas formas de sociabilidade e invenção, tendo as artes como expressão das trocas simbólicas, os seminários temáticos subseqüentes, todos no Seminário da Prainha, são Memória e Patrimônio Cultural (13 de outubro); Gestão e Institucionalidade da Cultura (20 de outubro); Cultura e Desenvolvimento (26 de outubro), Cultura e Comunicação (27 de outubro) e Planos Setoriais e Planos Territoriais (03 de novembro). “Os seminários são geradores de conteúdos referenciais para se entender a relevância pública da Conferência de Cultura, que não só diz sobre uma nova cultura política de afirmação dos instrumentos de democracia participativa, como convida a população a construir coletivamente uma política de Estado e não de governo para o setor. Ou seja, um marco legal que está acima de qualquer gestão ou governante que venha a comandar a pasta”, enfatiza o secretário executivo de cultura de Fortaleza, Márcio Caetano.

Concomitantes e posteriores aos seminários, as Pré-conferências Livres de Cultura também são momentos preparatórios para a conferência propriamente dita que, em novembro, instaura um amplo processo de mobilização e articulação entre poder público e sociedade civil, a fim de definir, de forma democrática, as políticas públicas para a cultura na cidade, girando em torno do tema “Construindo o Plano Municipal de Cultura”. Com inscrições abertas através do site www.conferenciadeculturafortaleza.com, as pré-conferências são plenárias organizadas espontaneamente pela sociedade civil para também deliberar sobre o Plano, enredando assim uma ampla malha propositiva através de fóruns de linguagens, instituições, movimentos sociais, sindicatos, associações comunitárias ou mesmo instituições representativas do poder público, cidadãos das mais diversas procedências e com os mais diversos interesses e bandeiras.

Podem participar da IV CMC cidadãos fortalezenses com idade acima de 16 anos; representantes de organizações com personalidade jurídica, com ou sem fins lucrativos; representantes de movimentos sociais e de cultura, sem personalidade jurídica, com atuação na cidade de Fortaleza; representantes do poder público, mas nunca ultrapassando um terço do número de participantes inscritos da sociedade civil, além de representantes de Conselhos em geral. Gratuitas, as inscrições serão realizadas on line, no ato do credenciamento e nas sete Secretarias Executivas Regionais (SER I, rua Dom Jerônimo, 20 / SER II, rua Professor Juraci de Oliveira, 01 / SER III, avenida Jovita Feitosa, 1264 / SER IV, avenida Dedé Brasil, 3770 / SER V, avenida Augusto do Anjos, 2466 / SER VI, rua Padre Pedro de Alencar, 789/ Rua 24 de maio, 1221 / Secretaria Executiva Regional do Centro (Sercefor), rua Guilherme Rocha, 175), assim como na sede da Secretaria de Cultura de Fortaleza (rua Pereira Filgueiras, 04 – Centro), em horário comercial, de 9h às 12h e de 14h às 17h.

SERVIÇO:

Ciclo de seminários preparatórios para a IV CMC: Cultura e Artes, dia 06 de outubro de 2011, de 19 às 22h, no Seminário da Prainha (av Dom Manoel com av. Monsenhor Tabosa). Entrada franca. Mais informações com a Assessoria de Imprensa da Secultfor: Bia Gurgel e Síria Mapurunga (3105.1386 ou 8899.8705). Ou através dos sites: www.conferenciadeculturafortaleza.com e www.fortaleza.ce.gov.br/cultura.

Secultfor


DAVID ČENĚK no júri do Cine Ceará

Postado em 28/05/2015 - 14:37:00

Edital de Festejos Juninos 2015

Postado em 05/05/2015 - 10:21:28




Comentários

blog comments powered by Disqus