Mais expressivo festival nacional de contrabaixistas será realizado no Centro Cultural BNB-Fortaleza

Centro Cultural BNB COMENTÁRIOS

Mais expressivo festival nacional de contrabaixistas será realizado no Centro Cultural BNB-Fortaleza

Celso Pixinga (SP), uma carreira de muito sucesso e prestígio em todo o Brasil e considerado um dos maiores e melhores baixistas do mundo.



O mais expressivo festival de contrabaixistas do Brasil – o IB&T Bass Festival de Fortaleza 2010 – será realizado no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – Centro – fone: (85) 3464.3108), no período de 17 a 19 deste mês (quarta a sexta-feira próximas), com entrada franca. Abrilhantam esta edição do IB&T Festival os seguintes baixistas: Celso Pixinga e Luiz Rosa (SP); Alexandre Cavallo Trio (RJ); Adriano Campagnani (MG); Joel Mancorvo, e Frank Negrão e Arturzinho (BA); e os cearenses Iran Laurindo, Netinho de Sá, Glauber Azevedo, Adriano Giffoni, Aroldo Araújo e Miquéias dos Santos. Desde 2004, o Festival vem sendo realizado em várias cidades e capitais do País, lançando e abrindo portas à nova geração de músicos e mostrando os grandes nomes dos graves da música brasileira. Em 2008, realizado pela primeira vez em Fortaleza, com o nome “Festival Cover Baixo”, teve a participação de vários músicos cearenses, acompanhando os baixistas selecionados e convidados, numa interação ímpar com os músicos de renome nacional, envolvendo e levando ao êxtase a plateia presente. Como decorrência desse Festival, foram lançados e projetados nacionalmente os baixistas cearenses Miquéias dos Santos, Iran Laurindo e Michael David (Pipoquinha), hoje patrocinados por grandes marcas que investem em músicos. O grande destaque da realização do IB&T Bass Festival é a parceria com as Escolas de Música de Fortaleza (CMAN, Guitartrix, Musimania, Tom Maior e Tônica), cujo objetivo é valorizar, formar e unir alunos, professores, músicos e o público em geral (que tem acesso gratuito ao evento). A direção do Festival é de seu idealizador, o grande baixista Celso Pixinga, reconhecido internacionalmente. A produção local do evento é de Marta Carvalho, que há muitos anos investe e se dedica na formação musical do povo cearense. O IB&T Bass Festival tem neste ano o apoio cultural do Banco do Nordeste, que abre as portas do Centro Cultural BNB-Fortaleza para a sua realização, apostando no valor da música instrumental brasileira e valorizando a iniciativa das Escolas de Música envolvidas na promoção do evento. Os artistas se apresentarão de 17 a 19 deste mês (quarta a sexta-feira), sempre de 15h30 às 19h30. No primeiro dia do Festival (17, quarta-feira) sobem ao palco os baixistas Iran Laurindo (CE), Luiz Rosa (SP), Joel Mancorvo (BA) e Netinho de Sá (CE); no segundo dia (18, quinta-feira), é a vez de Alexandre Cavallo Trio (RJ), Celso Pixinga (SP), Frank Negrão e Arturzinho (BA) e Glauber Azevedo (CE); e no terceiro dia (19, sexta-feira), encerram a programação: Adriano Campagnani (MG), Adriano Giffoni (CE), Aroldo Araújo (CE) e Miquéias dos Santos (CE). Veja a seguir as sinopses sobre cada um dos treze artistas participantes do Festival: ADRIANO CAMPAGNANI (MG) Com 20 anos de carreira, maturidade e com um trabalho impecável, Campagnani prepara seu segundo CD solo “Gálapos”, onde mostra a importância da influência étnica na música do mundo e da história, além da harmonia com a sonoridade particular da música mineira, numa mistura de ritmos, num som claro e com traços bem marcantes na técnica do contrabaixo. Participou de inúmeros shows e CDs, com diversos artistas como: Marku Ribas, Celso Adolfo, Juarez Moreira, Chico Amaral, Titane, Paula Santoro, Flávio Henrique, Saulo Laranjeira, Cid Ornellas, Marina Machado, Jota Quest, Kid Abelha, Flávio Venturini, Wilson Sideral, entre outros. Desde 1998, acompanha o cantor e compositor Beto Guedes, um dos principais integrantes do movimento “Clube da esquina”. Atualmente, dedica-se especialmente a sua carreira solo, com shows e workshops por todo o Brasil. Com muito carinho, Campagnani volta à Terra da Luz para dividir com todo o público do Festival, seu talento e dedicação à música instrumental. ADRIANO GIFFONI (CE) Contrabaixista, arranjador e compositor, natural de Quixadá (Ceará), com bastante experiência internacional, que inclui shows nos mais importantes festivais do mundo: Montreux e o JVC de New York, Adriano Giffoni se dedica também aos workshops sobre música brasileira, que já foram apresentadas em várias escolas e universidades do Brasil e do exterior. Há 25 anos morando no Rio de Janeiro, já gravou e tocou com artistas como Emílio Santiago, Djavan, Leila Pinheiro, Ivan Lins, Roberto Menescal, Wanda Sá, Tim Maia, Gal Costa, João Bosco, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Danilo Caymmi e Elba Ramalho, entre outros. Com oito CDs solo lançados no Brasil, em 2007 gravou o CD Quixadá Acústico, uma produção independente que foi lançada com sucesso e teve a indicação para o Prêmio Tim de 2008. No momento está fazendo shows do novo CD ‘Encontro das Raças’, lançado este ano e se prepara também para a Tour do guitarrista Andy Summers (The Police) pelo Brasil e exterior. ALEXANDRE CAVALLO (RJ) Baixista, Compositor e Arranjador – nasceu no Rio de Janeiro e firmou-se no cenário musical brasileiro por sua versatilidade, imprimindo uma linguagem própria, lapidada ao longo de mais de 20 anos de carreira. Em sua trajetória, tocou e gravou diferentes gêneros, em palcos e estúdios no Brasil e exterior. Desde 1990, coleciona em sua história várias turnês nacionais e internacionais com os seguintes artistas: Jorge Aragão, Jorge Vercillo, Blitz, Simone, Erasmo Carlos e Luiza Possi. Entre gravações e shows, trabalhou com Caetano Veloso, Ivan Lins, Fagner, Moraes Moreira, Carlinhos Brown, Geraldo Azevedo, Jorge Benjor, Renata Arruda, Isabella Taviani, Pedro Mariano, Moska, Leoni, Claudio Lins, Guto Graça Melo, Paulo Calazans, Alceu Maia, entre outros. Paralelamente, desenvolve o trabalho instrumental, adorado pelo público e prestigiado pela crítica, lançando em 2006, seu primeiro CD, intitulado 1+1, feito em parceria com o baterista Christiano Galvão. AROLDO ARAÚJO (CE) Instrumentista, compositor e arranjador, Aroldo Araújo é um dos mais conceituados músicos do cenário artístico cearense. Foi arranjador do festival “Canta Nordeste” da Rede Globo de Televisão por três anos consecutivos; foi premiado como melhor arranjador e melhor contrabaixista pelo site “NELSONS” nos anos de 2000, 2001, 2002 e 2003. Integrou as bandas: Sarabanda, Banda Nova e Banda Officina. Em 2003 lançou seu Cd intitulado: “Instrumental”. Tocou no festival internacional “América do Sul” ao lado de Manassés de Sousa, Yamandú Costa e Marcelo Loureiro. Tocou nas Orquestras: “Jovens Solistas do Nordeste” e “Filarmônica Cearense”. Tocou com os músicos: Oswaldinho do Acordeom, Danilo Caymmi, Mauro Senise, Nelson Gonçalves, Altamiro Carrilho, Fausto Nilo, Fagner, Amelinha, Ednardo e Belchior, entre outros. Atualmente está gravando seu novo CD intitulado “Contrabaixo”. CELSO PIXINGA (SP) Sua historia musical começou aos seis anos de idade, estudando piano erudito com a professora Marilena até seus 12 anos. Nessa época começaram a aparecer os grupos de rock, então Celso ficou deslumbrado com Beatles, Rolling Stones, Led Zeppelin, Jimi Hendrix e muitos outros. Surgia também o movimento da Jovem Guarda, onde a guitarra estava em ascensão, e foi aí que Celso trocou o piano pela guitarra. Em 1979, por indicação de seu pai, ele conheceu o cantor Eduardo Araújo que foi o responsável por Pixinga ter trocado a guitarra pelo contrabaixo. Pixinga encontrou duas pessoas que o ajudaram na parte pedagógica: o baixista Gabriel Ballis e o guitarrista Mozart Mello. Hoje, com uma carreira de muito sucesso e prestígio em todo o Brasil e considerado um dos maiores e melhores baixistas do mundo, Pixinga, criou o Festival Internacional de Contrabaixo, lançando e oportunizando a outros músicos dos graves, numa batalha incansável pela música instrumental. FRANK NEGRÃO E ARTURZINHO (BA) Negrão, na sua forma de tocar o contrabaixo, faz uso de técnicas modernas, como o two hands, tapping e double thump, sendo considerado especialista na técnica de slap. Nas suas composições, deixa nítido a pesquisa que faz de ritmos brasileiros, combinando com elementos da soul music e do jazz. Arturzinho, tem se destacado pelas técnicas de condução rítmica e pela capacidade de improvisação em solos, desenvolveu uma técnica de condução batizada por ele de “chula bass”, em que utiliza o polegar e o indicador da mão direita para a realização do pizzicato em semi-colcheia e os demais dedos complementando o acorde. A idéia de unir dois contrabaixos para o desenvolvimento de um trabalho conjunto surgiu para os instrumentistas Frank Negrão e Arturzinho Aguiar em fevereiro de 2008. De lá para cá, a dupla montou um repertório com composições próprias e releituras de grandes artistas da música instrumental, participando de vários festivais com grande êxito. GLAUBER AZEVEDO (CE) Aos nove anos de idade, iniciou seus estudos de música, logo começou a tocar em projetos de música na Igreja, onde também por influência de amigos e por curiosidade se interessou em conhecer outros estilos e gêneros como o samba, bossa nova, funk, soul e jazz. Seu maiores ídolos e referência no mundo dos graves são os brasileiros Celso Pixinga, Arthur Maia, Adriano Giffoni e Marcelo Mariano. Decidindo seguir a carreira profissional, teve boas experiências tocando com alguns artistas como: Ba Freyre, Ítalo e Renno, Armando Filho, Priscila Angel e Ozéias de Paula. Seguindo a linha da música instrumental, Glauber, vem realizando workshops, com uma proposta eclética, participando do Projeto Em Baixada 4.5.6, três baixos tocando juntos, explorando sons percussivos, melódicos e harmônicos. Convidado pela produção local do IB&T Bass Festival, Glauber representa a nova geração de baixistas do Ceará, mostrando todo o seu talento e prometendo uma brilhante carreira. IRAN LAURINDO (CE) Veterano no IB&T Bass Festival, Iran é um grande incentivador pelo crescimento da música instrumental cearense. Além da habilidade como instrumentista, a solidez da sua formação musical lhe permitiu pôr em prática o desejo de ensinar e formar novos músicos. Ministra aulas no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno, onde desenvolve algo inovador na prática de música instrumental, sempre com a participação de outros músicos em seus vários instrumentos, proporcionando-lhes suporte para a realização de música em grupo. Iran Laurindo orgulha-se em citar carinhosamente seus mestres Paulino, Junior Costa, Paulo Milton e Jorge Santa Rosa, como pessoas importantes na sua formação musical e profissional. Atualmente, paralelo ao trabalho na Banda Zero 85, ministra e promove workshops e destaca-se em sua carreira participando de festivais e projetos culturais na cidade de Fortaleza e em outros estados do Brasil. JOEL MANCORVO (SP) Com formação musical de berço, iniciou seus estudos aos sete anos, estudando com sua mãe, a pianista e professora Elza Mancorvo. Arranjador e compositor, Joel já foi destaque nas principais revistas brasileiras especializadas, como Cover Baixo, Rock Brigade, Roadie Crew, Comando Rock, Rock Hard/Valhalla, Músicos (Argentina). Em 2006, foi eleito o melhor baixista nacional em pesquisa realizada pelo webzine Novo Metal para eleger os melhores do ano. Gravou os seguintes títulos: o "Apelo à Igualdade", com a banda Turmalina, “Muito Além do Som” e "Debut Álbum - Killer Mermaid", com a sua banda SLOW. Já em 2005, passou a integrar o line-up do Ungodly, gravando e se apresentando ao lado de grandes expoentes do metal mundial: Slayer, Arch Enemy, Candlemass, entre outras. Com 29 anos dedicados ao contrabaixo, suas preferências são Música Erudita, Jazz, Fusion, Samba, Funk, Rock Progressivo, Prog Metal, Heavy Metal, chegando até ao Metal Extremo. LUIZ ROSA (SP) Estudante de música desde os oito anos de idade, hoje aos 28 anos, possui em seu curriculo 16 anos de experiência na área profissional. Nesse período atuou em shows com diversos cantores de todo Brasil, tais como: Donizzeti e As Marcianas, entre outros do Cenário Católico e Gospel: Pe. Fábio de Melo, Mensagem Brasil, Canção Nova e o mexicano Martin Valverde. Gravou ao lado de Milton Guedes, Alceu Valença, George Israel e Netinho da Bahia. Em julho de 2009, gravou seu primeiro trabalho solo, lançando em janeiro de 2010 um DVD instrumental, que conta com a participação de nomes como Celso Pixinga, seu maior incentivador e padrinho, onde mostra um pouco mais do músico e suas habilidades. Como produtor musical e baixista, já gravou mais de 100 álbuns, atendendo pedidos de vários artistas de todo cenário nacional. Luiz Rosa também é responsável pela realização do IB&T Bass Festival no Vale do Paraíba, fazendo parte do grupo dos grandes baixistas que abraçam a ideia. MIQUÉIAS DOS SANTOS (CE) Compositor e professor, foi apresentado aos seus instrumentos aos dezesseis anos de idade, desde então vem sendo caracterizado pela sua extrema organização, determinação e execução de ricas melodias e sofisticadas harmonias em seus trabalhos. As suas maiores influências vêm da genialidade da música Gospel. Através de um sério trabalho de pesquisa e produção musical, que somam talento, experiência profissional e principalmente esforços criativos para afirmar uma obra autoral de qualidade, Miquéias dos Santos conquistou o Prêmio “Nelsons da Música Cearense”, com o grupo Marimbanda, com quem gravou um CD, intitulado “Tente Descobrir”. Em 2003, juntamente com o músico, guitarrista e produtor Lu de Souza, fundou o Projeto Timbral, que tem como objetivo desenvolver um trabalho artísitco com experimentações sonoras diferenciadas do convencional. Vivendo um grande momento em sua carreira, Miquéias além de estar sempre presente nos palcos da nossa cidade, têm participado efetivamente de Festivais Nacionais e Internacionais de Música Instrumental. NETINHO DE SÁ (CE) Músico autodidata, Netinho de Sá ganha cada vez mais espaço no cenário cearense e nacional, desenvolvendo trabalhos musicais dinâmicos e ecléticos. Em suas experiências profissionais, dividiu palco com bandas e artistas renomados, entre os quais pode citar: Samba Vip, Grupo Karametade, Ed Camaleão, Eliana de Lima, Chrigor, Salgadinho do grupo Katinguelê, Dudu Nobre, Bob Araújo, Paulo Façanha, Renato Assunção, Rafaella Manville, Mesura, Ítalo e Renno e Evaldo Gouveia. No final de 2008, deu início a sua carreira instrumental participando de um duo com o instrumentista Daniel Ferreira, em participação no Festival Cover Baixo, em Fortaleza. Músico da banda cearense Groovytown, abriu shows para diversos artistas nacionais como: Jota Quest, Lulu Santos, Paralamas do Sucesso, Titãs, Maria Rita, Charlie Brown Jr., O Rappa, Belo e Exalta Samba, além de participar da primeira edição da Garagem do Faustão no ano de 2009.

Centro Cultural BNB


Abertura de Exposição CCBNB

Postado em 28/12/2014 - 16:22:37

Programa gratuito Papo XXI

Postado em 09/06/2013 - 09:26:31




Comentários

blog comments powered by Disqus